Gerar tráfego no site: 6 passos para fazer um visitante retornar ao seu site

Dicas para manter os visitantes no seu site e fazê-los voltar mais vezes. Veja 6 dicas para aumentar os visitantes recorrentes e trazer tráfego para o seu site

6-passos-para-fazer-um-visitante-retornar-ao-seu-site

Eae? Tudo bele?

Não é nada fácil a luta por audiência. Você sabe o quanto de trabalho precisa para gerar tráfego no site e trazer visitas? Alguns sites conseguirão muitas, outros bem poucas. Mas o que importa mesmo é que, independentemente da quantidade, se obtenha uma audiência de qualidade e um tráfego segmentado.

Seu cliente até pode conseguir vendas com visitantes que nunca retornem ao site. Porém um bom sinal que a audiência tem qualidade é quando os visitantes retornam mais vezes para consumir o que é oferecido pelo site.

Para chegar ao nível de transformar visitantes em uma audiência engajada, que fazem visitas recorrentes ao seu site, e até indica e defende sua marca para os amigos, precisa de muito trabalho. E o maior desperdício de dinheiro e tempo é gastar recursos para trazer visitas e não ter a “casa” arrumada para atendê-los.

Você sabe o que é executar os maiores esforços para garantir tráfego orgânico ou para investir em tráfego pago para no final os visitantes simplesmente abandonarem um site de forma a nunca mais voltar?

Isso dói no bolso e traz enxaqueca. Mas não fique aflito, suas decisões de design e desenvolvimento podem ser responsáveis por grande parte do sucesso de um projeto cuja marca os seguidores gostam. E caso você não sabe quais decisões tomar, nós vamos passar para você alguns passos que encorajarão os visitantes a retornar aos seus sites e de seus clientes.

Então vamos a eles.

#1 – Garanta que as coisas funcionem bem para gerar tráfego no site

Como funciona este site?

Manter as coisas funcionando nas páginas de um site é o que existe de mais básico para não frustrar os visitantes. O site pode promover um produto ou serviço fantástico, possuir um conteúdo incrível, mas se alguma coisa, por mais simples que seja não funciona corretamente pode ser o suficiente para que um usuário menos paciente saia do site e não dê a mínima chance para um retorno no futuro.

E como garantir que as coisas funcionem bem?

Um site que funciona mal chama muita atenção. As pessoas sempre se recordam de um defeito. Então as coisas funcionam bem quando os procedimentos executados no site fluem de forma “desapercebida”, ou seja, nenhum empecilho interrompe o fluxo do processo fazendo que a pessoas apenas usem a interface.

A maioria das pessoas, principalmente a grande maioria que não trabalha com tecnologias web, não estão atentas ao o que está funcionando bem, mas sim que elas consigam cumprir suas tarefas na interface. Não é comum um usuário dizer como um determinado botão é fácil de clicar, como um conteúdo é fácil de ler, ou como ele encontrou determinada informação rapidamente. Mas se no layout existe algo estranho, como por exemplo, com aparência de botão, mas não funciona como botão a reclamação é instantânea.

Não faça o usuário pensar. Faça ele agir.

Se preocupe com questões de usabilidade, acessibilidade, performance e faça testes para garantir a facilidade de uso que é um dos princípios que viabilizam uma ótima experiência do usuário. Um site que funciona bem dá espaço para mostrar o que há de mais importante a um visitante, o conteúdo. E isso, quando bem feito, é o que será lembrado. E é o que fará um usuário voltar.

#2 – Torne o ambiente digital um lugar humanizado

ambiente digital humanizado

Como já disse Douglas Engelbart, se facilidade de uso fosse o único requisito, estaríamos todos andando de triciclos. Isso também se aplica ao web design. Facilidade de uso é um dos requisitos fundamentais para essa área e contribuem para a experiência do usuário, entretanto não desenhamos para robôs. Temos que garantir uma experiência completa em um ambiente humanizado.

Como já descreveu o Designer Jeffrey Zeldaman web design é sobre a criação de ambientes digitais que facilitem e encorajem a atividade humana. Podemos fazer uma analogia com a arquitetura que visa construir ambientes físicos que também facilitam essas ações. O centro da questão é sempre pensar com prioridade para quem estamos criando e para que.

O ambiente digital deve atingir um nível pessoal de modo a acomodar o usuário para que ele “sente e fique à vontade” para fazer uma consulta com se fosse com um amigo próximo. E isso se faz necessários agora que as empresas estão cada vez mais presentes nos ambientes sociais online.

Podemos desenvolver os códigos mais limpos que garantirão a melhor performance, podemos usar as melhores estratégias de marketing que atrairão mais visitas, porém é usando uma linguagem menos formal demonstrando cada marca de forma mais humana que garantiremos a fidelização e retorno destas visitas.

O usuário espera que a marca não o lembre apenas por um identificador de uma transação de compra qualquer. Isso é muito frio! Procure também atingi-lo a um nível emocional. Isso é que falarei no próximo tópico.

#3 – Desenvolva pensando em interações com o usuário em um nível emocional

interações com o usuário em um nível emocional

Nós gostamos de perceber que somos muitos inteligentes e nossas decisões são lógicas. Entretanto grande parte do comportamento humano é guiado pelas emoções. O que você acha que acontece quando uma pessoa encontra, muitas opções de um produto, com as mesmas características, preço e vantagens? Ele deixa de lado o pensamento lógico e toma uma decisão baseado no sentimento para desempatar esse conflito.

Pode ser que uma embalagem se apresenta esteticamente mais bonita e traga sensações boas, ou a dispare a lembrança de uma campanha publicitária humorada ao qual trouxe alegria e identificação, pode ser também uma simples menção de uma marca conhecida que lhe traga confiança, entre outros disparadores de sentimentos.

Na maior parte do tempo as pessoas compram baseadas na emoção e usam a razão, com base na lógica, para justificar a compra.

Sabendo dessa informação podemos, com estratégias que otimizão a conversão, encurtar o caminho de entrega daquilo que tanto o usuário anseia no formato que acreditamos que ele aceite.

Nós que projetamos interfaces desejamos que o usuário execute diferentes ações em nossos sites como um cadastro, uma venda, a leitura de um artigo, ou que simplesmente ele retorne ao site, criar interações a um nível emocional pode ser uma ponte entre o que o usuário anseia e o objetivo da interface. E um fundamento que pode ajudar nisso é o Design Emocional.

O Design Emocional parte do princípio que o usuário é muito mais influenciado por desejos, aspirações, instintos e o subconsciente, do que pela razão.

Na prática tudo que temos de fazer é tomar decisões no planejamento de interfaces e conteúdo capazes de desencadear um processo emocional que levem as pessoas a amarem o website a ponto de deixá-las com vontade de retornar.

Paras saber mais sobre Design emocional sugiro que leia este artigo: https://www.chiefofesdign.com.br/design-emocional/

#4 – Facilite seu retorno para gerar tráfego no site

Pequenas ações podem facilitar e até antecipar o retorno de usuários. Um site pode ter clientes fidelizados que não estão retornando não porque eles esqueceram do site e sim porque esquecemos deles.

Como assim?

Usuários tem uma vida corrida e muitas distrações, o que pode fazer até o seguidor mais engajado esquecer que um site existe. E quais ações executar para que o site seja sempre lembrado?

a) Botões de curtir de redes sociais

Botões curtir de redes sociais

Pode parecer óbvia sua aplicação e é quase impossível que um site sério não possua uma relação de botões para que faça que seus usuários sigam o site também nas redes sociais. Mas pode acontecer.

E a função de colocar esses botões em um site não é porque todo mundo faz isso. É para garantir que o usuário que com certeza passa mais tempo em uma rede social que em seu site veja suas atualizações na timeline e clique no link garantindo o retorno ao site. Simples assim!

b) Formulário para captura de contatos

Formulário para captura de contatos

Existe uma forma de antecipar o retorno de usuários para seu site de maneira simples que é capturar o e-mail dos visitantes para depois enviar as novidades do site. Mas fique esperto! O e-mail marketing é uma ferramenta poderosa desde que entreguemos a mensagem certa, para pessoa certa e na hora certa.

Tudo que você precisará é contratar um serviço de e-mail marketing, fazer as configurações necessárias, construir um formulário de captura baseado no modelo fornecido pela empresa de e-mail marketing e estiliza-lo com seus conhecimentos de CSS.

O restante geralmente é com a equipe de seu cliente que deverá fornecer conteúdo relevante para os usuários para que se garanta um retorno recorrente de visitantes para o site.

c) Notificação push

Notificação push

É bem provável que você já tenha percebido que quando você visita alguns sites eles te convidam para assinar notificações. Caso um usuário assine ele autoriza receber alertas a qualquer momento por notificação desses sites que aparecerão no canto inferior direito de seu desktop independente da atividade que ele estiver executando e mesmo não estando navegando nesses sites. Bastará apenas ter uma conexão com a internet.

Esses alertas são denominados notificações push e servem para engajar usuários mantendo-os sempre informados sobre as novidades de um determinado site. Portanto a adesão desta tecnologia nos sites que você projeta pode garantir uma boa taxa de retorno de visitantes, desde que as notificações forem pensadas para direcionarem os usuários para determinado conteúdo do site.

As notificações enviadas devem ser a mais concisas possível porque existe uma limitação de até 100 caracteres para cada aviso. A criatividade para isso é um ponto primordial. Por isso indico que esta tecnologia deve ser usada em conjunto com as citadas neste tópico, principalmente e-mail marketing onde temos a possibilidade de aprofundarmos mais sobre o assunto tratado na notificação.

E o que fazer para adicionar esse recurso em um site que você está projetando?
Existem algumas ferramentas que possibilitam a integração deste recurso em seu site, de acordo com a documentação, através de linhas de códigos que serão inseridas entre as tags de abertura e fechamento, ou caso você use WordPress, através de plug-ins.

Das opções gratuitas que você pode consultar existe a OneSignal e a Pushcrew que é gratuita até 2.000 contatos.

d) App para celular

Se você tiver a possibilidade de criar um Aplicativo de celular (app) do seu site, ele pode ajudar facilitar o retorno ao seu site. Hoje em dia todo mundo tem celular e fica grande parte do dia com ele nas mãos. Imagine você  deixar um aviso para o seu leitor, no lugar que mais acessa, que tem uma novidade no seu site. É impossível ele não ver.

E mesmo que o app não redirecione para o site (abrindo no navegador) e, no caso, apresente o conteúdo dentro da própria interface do app. No mínimo você estará fortalecendo  a sua marca, ficando mais presente no dia a dia do seu público, algo que é muito benéfico para o seu negócio.

#5 – Dê voz aos seguidores

Questione no briefing e sugira ao seu cliente sobre a possibilidade do uso de uma seção de comentários no site com o argumento que isso pode encorajar visitantes a retornem ao site.

seção de comentários

Lógico que uma seção de comentários pode trazer alguma dor de cabeça com comentários imprevistos e de difícil resposta, mas investir nela serve além de termômetro para saber como está o relacionamento com sua audiência, também como gerador de expectativa por respostas do site aos comentários postados. Aí estão segredo da recorrência de visitas.

A cada comentário postado em forma de pergunta gera uma expectativa, não só na pessoa que perguntou, mas também pode causa-la nos outros visitantes que tiveram contato com a pergunta. E isso gerará retornos para saber as respostas.

#6 – Entregue o prometido

Essa é para desenvolvedores e web designers que sabem trabalham na edição de tags html do cabeçalho como meta description e title. Principalmente aqueles que também desenvolvem textos para SEO com essas tags.

Querendo ou não ao criar os textos para essas tags você está antecipando em forma de promessa de conteúdo o que vai nos resultados dos buscadores e das prévias nas redes sociais. E isso pode ser um problema se o que a prévia mostra não condiz com o conteúdo que está na página carregada.

resultado de busca

As pessoas leem essas prévias e resultados esperando que o que foi prometido vai ser realmente tratado na página carregada e caso isso não ocorra as chances de elas voltarem a este site diminuem drasticamente.

Portanto entregue sempre o prometido. Além de satisfazer a audiência poderá garantir uma boa porcentagem de retornos futuros.

Conclusão

Visitas recorrentes é umas das coisas que podem deixar seus clientes satisfeitos porque mostra duas coisas. A primeira é que todo cuidado para que os visitantes retornassem a seu site está surtindo efeito o que é uma boa notícia para você que projetou e desenvolveu o site. E a segunda é que essa recorrência pode garantir mais fechamento de negócios, vendas ou outros objetivos.

Acreditamos que os passos citados neste artigo, quando implementados, podem encorajar que visitantes retornem a um site pois estão focados em compreender emocionalmente, e atender os anseios dos usuários.

E você conhece mais alguma coisa que motive os usuários a retornarem a um website? Compartilhe com a gente! E já que estamos falando em compartilhar que tal mostrar esse artigo aos seus amigos?

Forte abraço!

Até mais!

Referências:

https://alistapart.com/article/understandingwebdesign
https://www.chiefofdesign.com.br/design-emocional/

David Arty

Olá. Sou David Arty, fundador do blog Chief of Design.
Sou natural de São Paulo, Brasil. Trabalho com design, principalmente com design para web, desde 2009. Procuro transformar ideias loucas e complexas em peças simples, atrativas e funcionais.

  • Pingback: WebaDesign – Empresa de Webdesign – Desenvolvimento Web Design Macaé e Curitiba » Gerar tráfego no site: 6 passos para fazer um visitante retornar ao seu site()

  • Cristina Rodriguez

    Muito bom texto David! Estou gostando bastante e seu blog é um dos que me dá vontade de retornar, então seu post deve ter razão no que fala hahaha. Estou estudando as suas e outras também para aprimorar meu site, que ainda está em fase de criação. Estou ainda naquela fase de comparar hospedagens, encontrar o melhor preço e a que me atender melhor. Por enquanto iniciei usando uma hospedagem gratuita e estou tendo uma experiência bem legal para criar o site usando a ferramenta de criação do site deles, fazendo tudo em WordPress. Logo mais migrarei para um plano pago, me preparando para o crescimento e investindo em um site que quero muito que me dê retornos financeiros e da alegria de postar e produzir bom conteúdo.

    • Oi Cristina.

      Muito obrigado pelo comentário.
      Isso mesmo. A gente começa as poucos depois vai aprendendo e evoluindo. 😀

      Abraço.